Marines Force Recon

Forum da Equipa de Airsoft Portuguesa Marines Force Recon.
 
InícioGaleriaFAQRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 RESCALDO - OP Ground Zero 09

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Lobo



Mensagens : 46
Data de inscrição : 17/02/2009

MensagemAssunto: RESCALDO - OP Ground Zero 09   Seg Mar 16, 2009 10:18 am

Boas,

Venho por este meio felicitar o MFR pelo jogo que organizaram, a FPA e a FDS pela colaboração bem como muitos outros jogadores que também deram o seu contributo.

É de ter em consideração que o MFR é apenas constituido por três jogadores e que mesmo assim se disposeram a organizar um jogo destinado a que mais de 100 outros jogadores se divertissem.

De salientar a excelente postura da maioria das equipas e jogadores.

Por último sugiro que as equipas treinem melhor o disparo dos RPG para que estes sejam mais utilizados Very Happy e que a forma como foram utilizadas as viaturas seja um pouco alterada em futuros eventos:
- validação de toda área da viatura
(os RPG não são precisos e o alcance é curto)
- possibilidade do condutor abortar uma drop zone devido ao perigo de concentração de fogo ligeiro e a exigência de um imediato e rápido desembarque
(o facto de não se poder atirar sobre os jogadores enquanto a viatura ainda está ali aliado ao facto de as drop zones serem em cima das posições inimigas permitia o lento, perfeito ou alargado posicionamento dos jogadores recém-chegados)

Um abraço
Lobo
Com.Sub.Air
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fubu

avatar

Mensagens : 67
Data de inscrição : 20/02/2009
Idade : 40

MensagemAssunto: Re: RESCALDO - OP Ground Zero 09   Seg Mar 16, 2009 11:39 am

Rescaldo na visão de um talibanhu...

O dia começou cedo as 0600 horas estava eu a sair da cama e a preparar-me para me dirigir para khabull no meu "heli"...cheguei perto de khabull por volta das 0640 horas e "aterrei (leia-se parei) numa área de serviço para abastecer, ali me juntei ao resto dos talibanhus e segui-mos para Khabull...
Ali chegados juntamo-nos ao resto dos combatentes e depois de vários "testes" e recomendações deu-se inicio ao briefing por parte da organização (Penaleve,Caldeira),um briefing muito completo e esclarecedor!
No final do briefing ainda fizemos uma medição de FPS e foi-nos entregue o passaporte.
Depois disto tudo o Comandante da resistência Talibanhu (Werewolf) distribuiu as ordens.
A FH foi pau para toda a obra, ficamos com a protecção do posto de comando e ainda andamos com missões ultra mega secretas de recolher intel sobre os INFIEIS.
1º fizemos escolta ao nosso Líder até ao posto de comando, chegados ao posto de comando fizemos um recon ao perímetro, não fosse estar algum (curioso) infiltrado no Posto de comando, depois da área estar segura avançamos e colocamo-nos num ponto estratégico, e começamos a ver logo os Helis dos infiéis com movimentações de tropas, após ver isto colocamos um grupo de 5 homens escondidos em pontos chave e avancei eu e mais 2 para a famosa casa vermelha (perto do portão) e como talibanhus escondemo-nos de modo a apanhar os infiéis desprevenidos, foi dito e certo!
Eis que surge os helis carregados de infiéis, e começam a montar o cerco...Foi a nossa oportunidade de causar baixas.
Os meus bravos soldados após algum fogo foram eliminados, restando apenas eu, os infiéis sabia por alto da minha posição mas não sabiam o local concreto, foi a minha oportunidade eliminei um com um assobio (LOL) e outro com um disparo certeiro.
Sublinho aqui a atitude do homem que foi rendido, apenas olhou aceitou a rendição continuou o seu caminho como se nada fosse!
Isto sim um jogador de valor.
Após a eliminação penso que o inimigo calculou onde eu estava e de repente cai uma chuva de bbs na minha posição, e prontos acabaram com a minha brincadeira!
Após esta situação dirigi-me ao respawn e lá fiquei a cumprir o meu tempo...
Após cumprir o meu tempo eis que montamos um plano maquiavélico para tentar ganhar terrenos aos Usa, pois era nosso objectivo manter aquele respawn longe dos infiéis...
Então lá voltamos a carga, mas foi um esforço em vão, eles eram muitos e nós nada poderíamos fazer, era uma zona complicada (Hot,Tomahawk,Rangers) mesmo muito complicada, voltei ao respawn e resolvi sair como civil, foi engraçado dirigir-me aos USA de maquina fotográfica na mão, eles não baixaram a guarda e tomaram as devidas precauções, não fosse eu ter prali algo escondido, aquele momento serviu para eu tirar fotos e por a conversa em dia com o Stunt que não perdeu a oportunidade de falar em Guimarães
E lá voltei eu ao respawn onde me juntei outra vez com a FH e decidimos tentar outra coisa, informamos o comando que íamos sair dali e tentar flanquear os USA através de um outro caminho!
E lá seguimos em direcção ao pavilhão grande (torre),após a nossa chegada encontramos com os GOFE ora estes senhores não facilitam nada!
Tudo muito bem organizado e posicionado aliás como é costume nos GOFE,a nossa ideia era atravessar este complexo para poder-mos flanquear os USA que estavam a montar o cerco ao nosso respawn, mas infelizmente um tiro de artilharia caiu na torre eliminando alguns GOFE depressa tentamos substituir os que tinham sido eliminados a nossa missão foi adiada!
Aqui uma palavra para os GOFE, apresento aqui as minhas desculpas em nome da FH, pois não estivemos a altura das vossas expectativas, mas infelizmente não estamos talhados para o vosso modelo de jogo.
Continuando...
Estava-mos nós com os GOFE e eis que chega o nosso comandante (werewolf) que se tinha retirado do posto de comando e procurou abrigo na torre, entretanto aquele complexo estava a ser atacado por os infiéis da encosta, então eu tomei a iniciativa subi a encosta e resolvi procurar os infiéis, mas infelizmente eles (Delta) já tinham abandonado a posição e só encontrei pessoal da facção Talibanhu.
Resolvi juntar-me ao comando e comecei a descer a encosta do lado oposto, e dou de caras com 2 DELTA (Sednem e outro),os meus olhos brilharam era a minha oportunidade de os eliminar, resolvi segui-los mas a distancia de tiro não era perfeita, então reparei que eles se juntaram a outros, e resolvi arranjar um local para os poder abater sem ser detectado, infelizmente fui abatido por um infiel que estava escondido numa arvore!
E lá voltei eu para o famoso respawn mas desta vez ele estava totalmente cercado!
Fui avisado por o Stuntman que aquele respawn estava tomado e cercado mas mesmo assim como estava exausto resolvi arriscar, quando lá cheguei já lá estavam 2 jogadores!
Combinamos sair de lá a mal ou seja embora cercados tentaríamos levar ou menos um connosco, mas infelizmente a coisa não correu como prevista e acabamos por ser "eliminados"!
O meu jogo acabou por ali pois estava na altura de uma saída estratégica para casa, pois como tinha alertado a organização por volta das 1530 horas teria de abandonar o jogo!

Em relação a ORGANIZAÇÃO foi excelente ,um jogo com pormenores espectaculares, um obrigado aos MFR por o convite!

É natural que num jogo com tantas regras, pormenores, jogadores, possa escapar um ou outro detalhe mas no geral acho que foi um jogo muito bem conseguido e parabéns a todos os presentes!

PS: As comunicações da nossa facção estavam (desculpem a palavra) uma m3rd@!!!

PS1: Acidboy não te pus a vista em cima rapaz!

PS2: KAISER tu és o MAIOR pah!!!!


Eis Algumas Fotos:























Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://foxhound.forumup.org
Lobo



Mensagens : 46
Data de inscrição : 17/02/2009

MensagemAssunto: Re: RESCALDO - OP Ground Zero 09   Seg Mar 16, 2009 12:52 pm

A nossa (Forças do Paiol) estratégica e táctica :

Tendo ficado eu com o perimetro do Paiol (perto da Base In) e com pouco mais do que meia dúzia de homens a nossa estratégica foi:

- manter secreta a posição do Paiol e do Respawn

Para tal a nossa táctica foi:

- enviar operacionais para combater nos edificios mais próximos da Base IN, incluindo ataques com RPG para desviar atenções da nossa Base
- manter apenas 2 a 3 operacionais na defesa do Paiol e bem escondidos de forma a não levantar suspeitas
- realizar aproximações ao Respawn da forma mais dissimulada possivel

Não existiram inflexões excepto quando a totalidade das nossas forças realizaram um ataque ao IN ou quando alguns dos nossos operacionais tiveram de ir apoiar a a nossa defesa na zona da Torre.

Um abraço
Lobo
Com.Sub.Air
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
pinto



Mensagens : 10
Data de inscrição : 07/11/2008

MensagemAssunto: Re: RESCALDO - OP Ground Zero 09   Seg Mar 16, 2009 6:05 pm

boas, eu não sou bom de rescaldos deixo isso para os poetas.
venho só dar os parabens, aos meus amigos pena leve e caldeira pelo grande ivento que org.
um grande abraço a todos e em especial as forças iraqueanas.

venha o proximo...


instrução dura combate facil...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Barbosa



Mensagens : 9
Data de inscrição : 16/02/2009

MensagemAssunto: Re: RESCALDO - OP Ground Zero 09   Seg Mar 16, 2009 11:09 pm

Boas noites. Finalmente tenho tempo para vir aqui deixar o meu rescaldo. Não é muito extenso por duas razões: Saí às 12.30h e estive sempre longe do calor.

O dia começou às 5.30h da manhã e só não foi mais cedo porque preparei as coisinhas todas na noite anterior. Fui até à casa do panisgas do Kaiser que se tinha começado a chorar que queria ir ao jogo e tal e coiso (telefonei no dia anterior ao Caldeira que disse que não havia problema em ir).
Cheguei ainda não eram 7h e lá fiquei à espera no portão. Entretanto chegou a organização e lá fomos entrando aos poucos. Emprestei o meu CB à organização (a ver se me dão o feedback de como se portou) e segui para a safe zone iraquiana.
Comecei a equipar-me e, entretanto, chegou o panhard (FPA) que "engatou" alguns Iraquianos, eu incluído, para montar o "estaminé". Apreciei muito o facto de termos que apresentar o cartão de Federado e de todas as armas terem sido submetidas a chrony. É certo que é uma seca mas só o vemos como tal porque não estamos habituados. Espero vir a ver este tipo de atitude em jogos com outras organizações (preferencialmente, todos). A minha arma mediu 320 fps's.
Quando começou o jogo, dirigi-me com o John ao posto de comando para deixar o General e assinar a folha. De seguida, montei barraca no perímetro do posto de comando mas, para azar (ou não), ninguém tentou entrar pelo meu lado. Não disparei nenhum tiro nem morri. O mais perto do perigo que estive foi quando estava a ser torturado com os gritos de um tango que teimava em soltar as cordas vocais, ao ponto de eu acreditar que se ouvia em Palmela. Seja como for, não abandonei a minha posição até à hora de saída (12.30h).Como é óbvio, a organização sabia as horas a que eu ia abandonar o jogo desde a reunião de quinta-feira, bem como as razões. Quando saí, coloquei a braçadeira vermelha (para que não houvesse confusões) e apareceu-me o pessoal do CAE de costas para mim. Tanto tempo sem contacto e quando vou a abandonar o jogo é que apanho 4 tangos pelas costas...é preciso azar! Mas lá me despedi deles e dos poucos que encontrei pelo caminho.
Quando cheguei ao carro, voltei a comunicar à organização que estava de saída. Foi a única vez que os contactei e prontificaram-se a responder. Muitas vezes isto não acontece com outras organizações.

O meu agradecimento ao Caldeira e ao Penaleve pelo jogo que nos proporcionaram, ao meu comando (Werewolf) pelo bom trabalho que realizou apesar de algumas vicissitudes, ao Maximus por, como é hábito, auxiliar as organizações e por nos ter acolhido tão bem em sua casa (na reunião), aos jogadores da minha facção por terem lutado ao meu lado, ao (poucos!) jogadores aliados com que me cruzei, etc...

Como andei longe dos tiros, não assisti a problemas mas não queria de deixar aqui um ponto negativo diferente do habitual: Esses senhores que só sabem classificar um jogo como Vitória destes e/ou derrota daqueles! São sempre os mesmos e, felizmente, são poucos. Quem tem este tipo de atitudes e não percebe que ganhamos todos com este tipo de jogos, não têm lugar neste desporto!

Obrigado MFR!

Abraço

Barbosa

PS: Kaiser, estou à espera de uma foto minha para ver como ficava no colete Homemade.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
werewolf



Mensagens : 37
Data de inscrição : 14/02/2009

MensagemAssunto: Re: RESCALDO - OP Ground Zero 09   Seg Mar 16, 2009 11:53 pm

só tenho uma coisa a dizer; OBRIGADO PELO EXCELENTE JOGO É DE MUITO MAS MUITO VALOR ORGANIZAR O QUE ORGANIZARAM COM TANTO TRABALHO E CARINHO EM PROL DO AIRSOFT NACIONAL.


ABRAÇÃO E MUITO OBRIGADO
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Major Alvega

avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 14/08/2008
Localização : Sintra

MensagemAssunto: Re: RESCALDO - OP Ground Zero 09   Qui Mar 19, 2009 2:25 am

Boas,

Quero começar por agradecer o convite dos Marine Force Recon.
Quero também dar-lhes os Parabéns pelo esforço e dedicação a promoverem, organizar e prepararem um jogo num campo muito grande e espectacular. Uma estreia para mim num jogo com pormenores espectaculares.

Não posso esquecer a participação da FDS e da FPA, que mais uma vez estiveram presentes para o bem do Airsoft Português, ajudando na Organização os Marine Force Recon.

Fizemos boa viagem e tratamos de nos equipar e receber o Briefing e as Missões.


DESCRIÇÃO DO JOGO:

Foi dado o Briefing por parte da organização, simples mas completo, e foram esclarecidas as dúvidas que ainda persistiam, após a qual fomos efectuar uma medição de FPS, junto das Federações e foi-nos preenchido o passaporte.

Fizemos parte da resistência (facção Iraquiana), sendo o General Ildicto (Werewolf) o nosso comandante supremo, que logo após a entrega dos passaportes distribuiu as ordens, ficando os Gofe e nós às suas ordens, com a defesa do Posto de Comunicações.

Como primeira missão, embora repartida em duas, efectuar o reconhecimento do terreno para Norte na direcção do Respawn 4, de forma a identificar a sua localização e seguir para Este, sendo esse o nosso local a defender.

E assim iniciamos a patrulha, assumindo posições defensivas, mas progredindo no terreno, lá chegamos ao Respawn 4, informa-mos o comando da sua localização e reiniciamos a progressão no terreno para assumirmos as nossas posições defensivas avançadas do Posto de Comunicações.

Não antes de passar pelas incómodas abelhas e do seu Apicultor. Sim, incómodas. Que o digam o Deadmeat, o Urubu e o Eagle, que por elas foram atacadas, mesmo estando desviados da zona das colmeias.

Assumimos as nossas posições avançadas de defesa e estivemos largos minutos sem qualquer contacto com o IN.
Após algum tempo de pura e simples vigilância, o comando Gofe, pela pessoa do Blade, mostrou alguma preocupação sobre a possibilidade de sermos atacados pelas costas, visto que o IN possuía Helis, e que poderiam vir de qualquer lado.
Por falar em COM, nem sempre foram as melhores, muitos VOX, que só atrapalham, e, no meu caso, ainda não consegui atinar com o Auricular certo, pois toda a gente reclama que não percebe as minhas COM’s.

Iniciei então uma patrulha entre o local onde me encontrava de vigilância e o possível local de descarga dos Helis.
Não antes de informar os meus camaradas para que tivessem atenção ao meu local de vigilância.
Não cheguei a completar a segunda patrulha, quando sou informado pelo rádio, de contacto visual com o IN, exactamente pelo local que tinha estado em vigilância. O termo utilizado foi “tens o IN à porta de casa”, muito bem Urubu, pois eu ia a correr feito um maluco e era abatido que nem um tordo.
Tomei posição defensiva e fui avançando lentamente, pois com um Shemag na cabeça, preto/branco parecia um pirilampo mesmo no meio do mato.
Fui avançando até que tive contacto visual com o IN, eram dois, mas não deram por mim, deixei-me estar imóvel, a aguardar que se movimentassem, sempre comunicando com os restantes 805, que iniciaram uma movimentação para atacar esses IN’s, e resultou, pois abateram um, que estava protegido do meu flanco pelas árvores e assim o segundo teve que se movimentar, foi a minha oportunidade e não a desperdicei, IN abatido.
Fui informado posteriormente que eram elementos SAG. Mas os que foram abatidos não eram os únicos, muitos mais vinham por outros flancos, e começou, bagada por todo o lado, sofremos algumas baixas, e fiquei só, tendo sempre a mira de dois Snipers sobre mim, como estava em inferioridade numérica e estratégica, optei por uma atitude de observador e passar informação ao comando, mudando muito rapidamente de posição, mal espreitava no meio do mato verde, logo um ou outro Sniper mudava de direcção, na tentativa de me abater, mas não conseguiram.
Solicitei reforços ao comando, que prontamente enviou o binómio Frazão-Pulga e chegada a hora do Respawn, sabia que os 805 iriam regressar, solicitei que se apressassem, pois para levar a cabo uma tentativa que tivesse resultados práticos, precisava de apoio.
Chegado esse apoio, começamos a progredir no terreno na tentativa de os eliminar, não antes de outro encontro com as abelhas, e quando pensávamos que tínhamos o binómio nas costas dos IN, e avançamos para os obrigar a sair, estes já tinham mudado de localização, tal suposição foi-nos fatal, pelo menos para alguns, sofremos mais algumas baixas, Deadmeat, Urubu e o Pulga, fiquei eu, o Eagle e o Frazão.
Estávamos a avançar no terreno no encalço dos IN’s, e tínhamos conseguido que se movimentassem encosta abaixo para se reagruparem. No mesmo instante somos informados, via rádio, que tinha rebentado um Morteiro no Posto de Comunicações e que deveríamos apresentar-nos no Respawn, pois estávamos localizados no quadrante de raio de acção do dito. Assim fizemos... fita na arma e, encosta abaixo, a caminho do Respawn 4, passámos pelo Posto de Comunicações, que tinha sido reforçado por outros Iraquianos que se encontravam nas redondezas e que não tinham sido atingidos. Quando lá chegamos já lá se encontrámos a quase totalidade do nosso comando.

Aproveitei para comer e beber algo, que já eram horas.

Aqui deparei com umas novidades, água fresca e saco para lixo. Muito bem! Very Happy
Deixar as instalações como as encontrámos, a pensar num futuro limpo. Cool

Quando “ressuscitei”, informei o comando e dirigi-me para o Post de Comunicações com o Deadmeat e íamos posicionar-nos novamente a Este do Posto de Comunicações, no cimo do monte, quando avistámos mais um Heli, carregado de IN’s. Informámos o comando, que nos deu ordem para os eliminar, e fomos no seu encalço. Eram mais do que pensávamos, e pensou-se que iriam tentar neutralizar o Respawn 4, portanto descemos a encosta que tínhamos subido e procurámos posição de ataque... mas deixámos de ter contacto visual com os IN. Subimos uma pequena encosta e o Deadmeat entrou em contacto com o IN, disparando e foi eliminado. Eu consegui proteger-me e, quando tive oportunidade disparei. Não sei se acertei, mas eram 3 ou 4 que me tentaram alvejar pelas costas, mas não conseguiram, pois as dunas protegeram-me... e nunca mais os vi.
Solicitei apoio ao comando, não fossem tentar neutralizar o Respawn 4, e informaram-me que assim que pudessem enviavam alguém. Andei por ali a vaguear mas nunca mais os vi, e como não chegavam os reforços, fui até ao Respawn para verificar “in loco”, estava tudo normal.

Dirigi-me para o Posto de Comunicações, que tinha sido atacado, e pouco depois avistei um Heli, que entrou armazém dentro e vai de fogachada, ainda com o Heli em movimento, e feito algumas baixas. Já se encontrava entre nós o General Ildicto (Werewolf) e começámos a defender-nos como era possível, mas depois de descarregar alguns Mag’s, existia um IN que teimava em disparar em Full, e incessantemente, qual supressora. Mas não foi o único a insistir no erro do Full, do lado oposto do armazém era só o que se ouvia, RATATATATATATATATATATATATATATATATATATATA...

O Comandante Bisonte bem me dizia para lhe proteger a retaguarda, mas como?
Se eu não conseguia ver de onde ele estava a disparar, sem me expor.
Tive que me afastar e tentar flanquear o elemento que teimava em usar a sua G36 como supressora, mas não consegui.
Pois quando tentava outra abordagem que oiço movimentações e não só, aparece-me um IN a correr, levou bagada, em Single nas pernas, não disse nada e recuou, mudei de posição, e quando insistiu voltou a levar, voltou a recuar, disseram-me que acabou por sair do jogo.
Eram os Aliados, a atacar em peso pelo lado Norte superior do Posto de Comunicações.
Como pressentia que não estava só, voltei a mudar de posição e iniciei a dar resposta aos que avançavam do lado oposto, quando sou atingido por uma “linha branca de PVC”, era mais uma rajada em CQB.

Num jogo com tantas regras, e É PRECISO LER AS REGRAS PARA SE PODER JOGAR.
Pois as dúvidas só aparecem a quem se dá ao trabalho das ler e das compreender.

E foi o caso de muito boa gente que foi para ali, demonstrando ZERO de respeito por quem se deu ao trabalho de organizar e preparar o evento.

No que diz respeito a enganos, não estou de acordo com o que já foi escrito, pois desculpas não se pedem,
EVITAM-SE, ou seja, existe por norma sempre um Squad Leader, seja ele o Líder ou outro posto qualquer, não chega ser o Comandante, há que “incorporar” e agir em conformidade. Sei que nem sempre é fácil, mas quando detectamos o erro, à que corrigi-lo IMEDIACTAMENTE, para que se não propague como uma virose.

E lá fui eu outra vez para o Respawn 4 onde encontro elementos dos 805, Gofe e Mercenários do Matagal, e outros.
Quando “ressuscitamos” lá partimos nós para mais uma investida, dirigimo-nos para o Posto de Comunicações que tinha sido tomado pelos Aliados, na tentativa de tentar ajudar quem ainda por ali andasse ou tentar recupera-lo, mas não avançamos muito, pois ao longe deparamos com uma barreira constituída por vários elementos que tinham montado um posto de vigia para a estrada. Como tínhamos a estrada para atravessar distribuímo-nos por três grupos, eu e o Urubu, mantivemo-nos pela zona frontal, para observamos as movimentações dos IN’s, Gofe e Deadmeat foram por cima, pelo lado esquerdo, e o Mambly e Mercenários de Matagal por baixo pelo lado direito.

E foi neste momento que aconteceu de tudo um pouco, eu o Urubu a tentar atingir o IN’s no posto de vigia, mas a distância e o vento, a não permitirem, mas como se diz “a persistência produz resultados”, mudamos de posição e menos um, o Urubu de Pistola, eliminou um, os restantes tomaram posições defensivas.
Não lhes serviu de nada eu eliminei outro, já só sobravam 2, nessa fase sou informado que temos o Mambly a rastejar pelo flanco direito na direcção do posto IN, que ao localizarem a nossa outra patrulha que se movimentou mais à esquerda, se distraíram e deu a oportunidade ao Mambly de melhor posicionar e de os abater, sem eles se aperceberem bem de onde apareceu aquele Iraqui.

Eu e o Urubu aproveitamos, entretanto para nos posicionar melhor e dar a poio ao Mambly, caso fosse necessário, mas ele deu conta do recado, disparando e protegendo-se. Connosco alguns elementos dos Mercenários do Matagal aproveitaram também para ir subindo no terreno.

Foi aqui que um conjunto de situações me criou o pequeno stress, a “namorada”, que anteriormente esteve tão bem, a fazer uns disparos em single e com um alcance e precisão brutal, estava a dar sinais de cansaço, só não sabia se era o motor ou a bateria, apressei-me a trocar a bateria pois ao longe vinha um Heli, já não era só a preocupação do posto de vigia com também do Heli.

Quando reparo que mais abaixo de mim, mesmo junto à estrada está o Massy, que só tem tempo de se esconder num arbusto, iniciamos o ataque ás forças que foram “largadas”, mas estávamos tão mal de pontaria que não conseguimos acertar em ninguém, gastei pelo menos um Mag e não eliminei ninguém, sem nos preocuparmos em demasia no Heli, que recebe instruções para efectuar mais uma passagem, resultando na carnificina do Massy que estava nem a 2 metros da estrada, pois dispararam para ele de supressora de cima do “veiculo”.

Fomos na totalidade abatidos, só sobreviveu quem saiu do local quando avistou o Heli. Mais uma viagem ao Respawn 4.

Lá somos informados que os Aliados já tinham tomado praticamente tudo, só lhes faltava o nosso General Ildicto (Werewolf), somos também informados, pelo Eagle, que este se encontra numa posição alta a ser protegido por elementos dos 805, dos Geo e do Gofe, que solicita toda o apoio possível.

E assim foi, quando “ressuscitamos”, dirigimo-nos para a última posição conhecida do nosso General Ildicto (Werewolf), no cimo da encosta, junto a um poste de alta tensão, e fomos tomar posições de defesa, e mal tivemos oportunidade de nos posicionarmos, começamos logo a ouvir os Helis, carregadinhos, a “largar” Aliados, mais uma vez troca de BB´s, e tinha um elemento à minha direita, que nem sabia quem era, era o McGyver, e mais uma vez falta de pontaria, éramos dois a disparar para 5 a 6 elementos, que são apanhados de surpresa, mas vinham muito bem equipados com coletes especiais, pois só dois se deram como abatidos, voltei a descarregar dois Mag’s, e um capacete deve ter ficado bem marcado, mas enfim, esse mesmo elemento conseguiu também eliminar o McGyver.
A força Aliada foi reforçada com mais viagens dos Helis, pois queriam a todo o custo capturar o nosso General Ildicto (Werewolf).
Fomos para o Respawn 4 e contávamos “ressuscitar” e entrar pela última vez em jogo, quando estávamos a recarregar os Mag’s, no Respawn 4, sentadinhos, somos confrontados com uns 3 elementos Aliados que nos queriam render, porque não tínhamos as fitas à vista, mas estavam nas armas e nós no Respawn.
Estes elementos avançaram a caminho da encosta, mas foram logo abatidos, e depois eu perguntei “Então a fita?” à qual tive como resposta, uma comunicação, que era mais prioritária, a chamar transporte dos Helis, do que assinalar que tinham sido eliminados.

Aos restantes elementos dos 805, Geo, Gofe e Mercenários do Matagal, aconteceu o mesmo, era só falta de pontaria e foram abatidos. Não antes de alguns querem confirmar verbalmente se tinham ou não atingido os elementos das forças Aliadas, sem pensarem na sua própria segurança, visto que nem se acusam com BB’s como se iam acusar quando confrontados com palavras.
Com o nosso General Ildicto (Werewolf) ferido, visto que não existia vontade de o capturar com vida, mas sim de o eliminar, embora não fosse esse o objectivo.
Este viu-se forçado a dar por terminado o evento, tendo em consideração esta última investida dos Aliados.

Por isso não tenho críticas a fazer à organização, no entanto podem existir pormenores a melhorar, de certo que sabem do que falo.

Porque para mim os jogos são bons ou maus consoante os jogadores que neles participam, e estou a incluir-me, eu tenho consciência que dei o meu máximo, que fui correcto com tudo e com todos, cada um que fale por si.

Parem de apontar o dedo e assumam o que fazem. É muito mais construtivo.



Para concluir, Iraquianos, estivemos bem, apesar de tudo, Alá foi grande.

Longa vida ao nosso General Ildicto (Werewolf) foi uma honra ter servido às suas ordens.

Força Marines Force Recon, sabem que podem contar com os 805.

Ficamos a aguardar pela Op. Ground Zero 10.

Abraço para todos, por um Domingo bem passado.


Eu, depois de ter sido abatido (agradeço a quem a tirou)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://brothersinarmsairsoftportugal.webs.com/
2cmdt-gofe



Mensagens : 36
Data de inscrição : 18/02/2009

MensagemAssunto: Re: RESCALDO - OP Ground Zero 09   Qui Mar 19, 2009 4:32 pm

Não sei se é aqui mas já que todos estão a colocar o rescaldo neste post aqui vai.

Rescaldo oficial do GOFE.

Pedimos desculpa por só agora postarmos o rescaldo mas infelizmente e como sou eu que escrevo sempre, o tempo disponível tem sido pouco.

Em primeiro lugar e como sempre os agradecimentos:

Vimos desta forma agradecer aos Marine Force Recon pelo convite feito ao GOFE para estarmos presentes na OP. Ground Zero.

Apenas uma semana após o Instruex e todo o esforço despendido para o mesmo, quer ao nível físico quer familiar e ai o Comando do GOFE vem aqui também desta forma, agradecer a todos os seus Operacionais pela sua presença nesta OP. e como sempre pela sua entrega á missão que nos coube.

Queremos agradecer também a todas as equipas sem expeção, a todos os que estiveram presentes nesta OP. Pelo facto de termos uma vez mais demonstrado que o Airsoft é um desporto de massas e não de meia dúzia de malucos.

160 - Jogadores, fora os que queriam ter ido e não foram, equipas que nunca haviam jogado juntas e que na mesma facção deram o seu contributo ao seu Comando quer num lado quer no outro.

Levantarem-se mais cedo do que para irem trabalhar, andar kms debaixo se um sol escaldante como o que se fazia sentir, com os seus uniformes, as suas meninas (réplicas de armas ou armas de categoria G) tal e qual qualquer outro desportista num qualquer desporto já reconhecido.

Se isto não é desporto ou somos todos maluquinhos ou alguém anda a precisar de óculos.

Bom voltando aos agradecimentos:

Queremos agradecer também ao fotógrafo, maneta Kaizer ;D pela companhia e as belas fotos que tirou de toda a OP. Pois só assim nós conseguimos perceber o que se passara no lado dos aliados e isso porque nunca abandonamos o nosso objectivo a (torre de comunicações) e nem tempo tivemos para nos coçar.

E aqui queremos deixar claro, que o próprio fotografo maneta Kaizer ;D não estava do nosso lado, pois ele próprio ao chegar á torre, auto mutilou-se com uma MACMOR (mina de BBs artesanal exclusividade GOFE) das várias colocadas no perímetro e nem após o curativo deixou escapar informações.

Os nossos agradecimentos também ao nosso CMDT. Werewolf, foi com grande respeito que estivemos sob o seu comando, se não fizemos mais foi poque também não havia meios humanos suficientes.

Ao comando dos Aliados Máximus, que pelo que vimos nas fotos no vosso aquartelamento, marcaste de sobremaneira a forma de fazer um reenactment, pois como já várias vezes afirmá-mos, não é apenas e só vestir um belo camuflado de uma qualquer força para isso, é necessário muito mais, ... Para ti nota 10.

A título particular, quero deixar um agradecimento especial ao camarada dos aliados que me deu um tiro no meio dos C...rn..s.

Nunca em vários anos de airsoft, recebi um tiro tão limpo e intencional como esse, na sequência daquele combate na escadaria da torre ,...após ter morto o infiel Páras com um tiro no braço enquanto este subia a escadaria, vou a colocar novamente a cabecita de fora uns milimetros para ver quem vinha atás dele ,e de repente tiro no boneco, ou melhor na boneca ( cabeça ).

Agora em vez de parecer um Iraquiano, pareço um Indiano, mas, sem stress e é assim que todos nós devemos aceitar e encarar o airsoft.

Desde que tenhamos a consciência de que estamos a cumprir com as regras impostas pela organização e principalmente com as regras do bom senso, perante um tiro destes nada a dizer... ou melhor deve-se dizer bem alto MOORRTTO.

E agora o rescaldo da OP.

Uma vez mais damos os parabéns aos Marine Force Recon, uma OP. Bem idealizada com muitos pormenores difíceis de passar para quem não tem os conhecimentos certos, mas conseguiram dentro do possivel.

Quanto aos Hélios uma nova vertente a ser explorada pois marcou a diferença no ataque final á torre de comunicações, pois parecia que estavam a nascer aliados de debaixo das arvores.

RPG. temos que encontrar um Prof. Pardal airsoftiano para desenvolver essa arma.

Tiros de morteiro, a colocar em mais Ops. desde que sejam respeitados e verificados pela organização foi muito bem conseguido, e ai queremos enviar um abraço especial aos SAG que fizeram bem a sua missão dando as coordenadas exactas dos locais a destruir.

Quanto ás coisas menos brilhantes:

Muito embora, muitos do que postaram ao longo destas 12 páginas façam questão de não ver, e não relatar, para parecer bem,e porque existiram em demasia, mas que não fazem falta nenhuma ao airsoft e muito menos a uma Operação desta envergadura.

Pensamos que devem ser sempre referenciadas pois não é, não dizer nada, e não chamar atenção de quem não cumpre que esse mesmo prevaricador evolui.

Por pensarmos, que ao longo destas 12 paginas já foram referenciadas essas pragas que continuam a invadir o airsoft, pensamos não voltar a bater na mesma tecla, pois quanto mais se mexe na M…d….a, mais ela cheira mal, quando o lugar dela é pelo esgoto a baixo.

PS. O comando do GOFE achou por bem fazer referencia ao camarada FUBU e á sua equipa pela humildade com que publicamente relataram, através da sua pessoa e líder, referenciando que eventualmente não estariam á altura da forma como o GOFE actua ou do nosso modelo de jogo.

Quanto a isso queremos dizer que estão completamente enganados pois nós apenas actuamos com um pouco mais de disciplina de comando, pois só assim as coisas funcionam de forma positiva.

Coisa que qualquer jogador de airsoft que se predisponha a fazer e aceitar consegue.

Aceitar que outro delegue em si a missão que terá de executar e cumprir até receber uma nova missão para beneficio da sua equipa ou facção é isso que se pede, e que qualquer um de nós consegue fazer.

Quanto a vencedores e vencidos coisa que para nós GOFE não existe nem catalogamos dessa forma mas apenas da seguinte :

Existe quem cumpriu as missões atribuídas e os que não cumpriram, quem cumpriu sai com a satisfação do dever cumprido, quem não cumpriu não se divertiu tanto.

Resta-nos uma vez mais agradecer a todos por mais esta OP/jogo/ ou o que acharem melhor chamar.

Sem mais de momento.

Terminado.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: RESCALDO - OP Ground Zero 09   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
RESCALDO - OP Ground Zero 09
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» jantar de natal zona de viseu e arredores - dia 22 (fontelo) rescaldo
» Duvidas Instalando Central Multimidia
» BTT Enduro Series Cascais - Rescaldo

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Marines Force Recon :: Jogos :: Op. Ground Zero I :: Forças Iraquianas :: Geral-
Ir para: